21 de julho de 2024

Mulher que acusa jogadores do Vitória de estupro reconhece dois atletas

Por

 A mulher de 44 anos que acusa jogadores do Vitória de estupro identificou dois atletas que estariam envolvidos no caso. A violência sexual teria acontecido no Hotel Bourbon, em Curitiba, depois do triunfo do Vitória sobre o Atlético-PR pelo campeonato brasileiro. A delegada Márcia Marcondes, responsável pelo caso, preferiu não citar nomes por acreditar que a investigação ainda está muito incipiente e seria precipitado.

Várias fotos da delegação do Vitória foram mostradas à mulher, incluindo imagens da comissão técnica, e ela identificou dois jogadores. Um terceiro atleta também estaria envolvido no caso, mas a mulher não o identificou nas imagens. A delegada informou que a mulher, que não teve o nome divulgado, vai prestar novo depoimento esta semana. Hoje, dia denúncia, ela estava muito confusa. "Ela falou de duas, três e quatro pessoas. Ela estava extremamente confusa. O depoimento foi muito mais demorado do que deveria ser. Como já sabemos que as informações nem sempre são claras, temos um ritual mais rápido para que a pessoa vá direto ao hospital realizar os exames", disse a delegada ao iBahia.

As imagens das câmeras de segurança do hotel devem ser entregues amanhã à polícia.

"Segundo o depoimento, quando entraram no quarto, eles estavam em cinco pessoas. Ela, a amiga e três homens. Desses três, ela identificou dois. Um que saiu com amiga e outro que ficou com ela, mas não o terceiro. Mostramos as fotos da delegação para ela, inclusive da comissão técnica. Só que há confusão, ela estava confusa pela manhã durante o depoimento. Esse pode ser um dos motivos para ela não ter identificado o outro, como pode ser que não faça parte da delegação. Sempre temos um segundo depoimento alguns dias depois. No estresse sempre tem alguma dificuldade. Nessa segunda vez a gente acredita que vai ter um esclarecimento maior", disse ainda a delegada.

O resultado de um exame de corpo de delito que a mulher fez fica pronto em até 15 dias e deve concluir se houve ou não estupro. Por precaução, a mulher tomou pílula do dia seguinte, para evitar uma possível gravidez, e também foi medicada com antirretrovirais para evitar doenças infectocontagiosas.  A mulher também passou por exames toxicológicos e de dosagem alcoólica.

A delegada só pretende chamar os jogadores citados para serem ouvidos quando tiver mais informações em mãos. "A gente tem que trabalhar com muita ponderação. A gente corre grande risco de cometer um erro quando se precipita".

Em entrevista ao Correio24Horas nesta manhã, Márcia contou que a mulher estava muito confusa e procurou a Delegacia da Mulher para prestar queixa contra atletas do time baiano. "Fizemos atendimento da vítima e ela informou que estava em uma balada e de lá seguiu para o hotel onde se hospedou, ocorrendo um estupro posteriormente. Estamos fazendo algumas verificações do caso, porque existem informações desencontradas inclusive por parte das testemunhas, que desmentem a versão da vítima. Estamos em uma fase muito preliminar das investigações para termos um ponto de vista mais concreto do que aconteceu, mas ainda vamos analisar as imagens do hotel", explicou.

Com informações da repórter Fernanda Varela, do Correio24horas, e Hailton Andrade, do iBahia

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!