23 de abril de 2024

Procurada pelo deputado Mário Júnior, Chesf se pronuncia sobre crise dos médicos no Hospital Nair (Veja Nota)

Por

REDAÇÃO - PA4.COM.BR




 

 

Preocupado com a situação envolvendo o Hospital Nair Alves de Souza e o fim do contrato da empresa Presal responsável pela contratação dos médicos, na manhã deste domingo (1/12), o deputado federal Mário Negromonte Júnior (PP), entrou em contato com o Diretor de Gestão Corporativa da Chesf, Adriano Soares da Costa, para os devidos esclarecimentos e possíveis soluções.

 

Em resposta aos questionamentos do deputado, o diretor da Chesf se pronunciou explicando a real situação: “Houve um final do contrato da Presal que era a empresa que prestava os serviços e contratava os médicos, foi feita uma licitação e ganhou uma outra empresa, então acabou o contrato da Presal e até a assinatura do novo contrato da empresa está tendo uma questão de recurso no processo de licitação, nós precisávamos então contratar emergencialmente.”, disse Adriano.

 

Ainda segundo o diretor, a Presal se recusou a fazer contratos emergenciais e impôs uma situação difícil de ser resolvida pela Chesf: “A Presal, ela jogou muito duro, não queria fazer um contrato por mais 30 dias, por mais 60 dias, colocou uma série de dificuldades como que impondo uma situação impossível pela legislação à Chesf, então nós contratamos a que venceu a licitação emergencialmente pelo preço da licitação.”

 

Adriano garantiu ao deputado Mário Júnior que a Chesf está negociando com os médicos e a nova empresa para tentar equacionar o problema: “Estamos agora está nessa fase de negociação da nova empresa com os médicos e essa negociação, a gente não pode entrar diretamente o que eu posso é está pressionando para que nós consigamos de parte à parte um acordo que seja compatível. Mas esta é uma relação da empresa com os médicos. Temos que ter muito cuidado para não inverter e caracterizar uma relação de emprego com a Chesf, a gente fica de mãos meio atadas por causa disso.”

 

Após ouvir os esclarecimentos do gestor da Chesf, o deputado federal Mário Negromonte Júnior disse ao portal PA4.COM.BR que também está mobilizando todos os recursos possíveis para intermediar e ajudar no impasse.

 

 

Veja abaixo nota de esclarecimento da Chesf enviada ao deputado:




 

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO À SOCIEDADE

 

 

A COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO – CHESF, em razão de veiculação nas redes sociais e na imprensa de notícias acerca do funcionamento do Hospital Nair Alves de Souza-HNAS, vem a público esclarecer o seguinte:

 

1 – De início, é importante registrar que as atividades do Hospital Nair Alves de Souza-HNAS não sofreram solução de continuidade;

 

2- A Chesf preocupada com o atendimento de saúde à população e em respeito à decisão judicial que determinou a manutenção integral dos serviços já por ela prestados, até então, observada a gradual transferência da gestão hospitalar, nos percentuais mínimos nela estabelecidos no transcorrer do ano de 2020, deflagrou processo licitatório visando a contratação de empresa prestadora de serviços médicos, uma vez que o contrato em vigor, se expiraria às 23h59min do dia 30 de novembro do corrente ano;

 

3- O processo licitatório deflagrado e ora em curso, já tem empresa habilitada, porém, ainda não foi concluído em razão da interposição de recursos administrativos pelas demais licitantes em face da decisão administrativa de habilitação, o que, por força do rito legal a ser observado, impediu a sua conclusão até o momento;

 

4- Diante desse cenário, a Chesf preocupada em garantir o atendimento de saúde à população, decidiu deflagrar procedimento administrativo para contratação de empresa prestadora de serviços médicos, mediante dispensa de licitação em caráter emergencial, sendo que o contrato daí derivado vigorará até a conclusão do processo licitatório em curso, respeitado o limite máximo fixado em lei para esta modalidade de contratação;

 

5- É oportuno salientar que, uma vez tendo a Chesf, por dever de cautela, optado pela contratação emergencial, buscou-se, em um primeiro momento, contratar a empresa com a qual a Companhia mantinha relação contratual até a data de ontem, entretanto, para a iniciativa da Chesf de realizar a contratação emergencial por um prazo necessário à conclusão do processo licitatório, não houve concordância da empresa prestadora do serviço;

 

6- Em razão disso, a Chesf, para fins de contratação emergencial, contatou a empresa que foi habilitada no processo licitatório em curso, consultando-a acerca de eventual interesse em contratar mediante dispensa de licitação, bem como se teria condições de assumir o serviço, tão logo fosse celebrado o contrato, evitando-se, assim, a descontinuidade e os graves prejuízos dela decorrentes;

 

7- Com a concordância formal dessa empresa, de imediato, a Chesf adotou todos os esforços necessários à conclusão da contratação emergencial. Por sua vez, a empresa, ora contratada, visando valorizar o corpo médico existente no HNAS, iniciou tratativas no tocante à contratação desses profissionais médicos;

 

8- Os contatos foram intensificados e as contratações sendo realizadas de modo que se evitou a descontinuidade dos serviços;

 

9- Cumpre registrar que a Chesf, durante todo esse processo, dada a emergência da situação, agiu de forma a oportunizar o contato entre a Contratada e o corpo médico, acompanhando em tempo integral o desfecho das negociações visando garantir o fechamento das escalas dos plantões médicos;

 

10- Todo o acima exposto, evidencia o compromisso da Chesf no sentido de garantir a continuidade e a normalidade da prestação dos serviços médicos do HNAS, não tendo ocorrido a alegada suspensão das atividades, infeliz e equivocadamente, veiculadas para a sociedade, o que se mostra uma conduta preocupante e de consequências danosas, além de não contribuir para melhoria da saúde do município de Paulo Afonso e região;

 

11- Saliente-se que, durante todo esse processo de contratação emergencial, a Chesf interagiu com o Ministério Público Federal- MPF em Paulo Afonso, o qual está ciente de todas ações adotadas para a garantia da continuidade das atividades médicas do HNAS, assim como a Secretaria Municipal de Saúde que, através de seu Secretário visitou na data de hoje o Hospital, buscando informações acerca de todo o processo acima exposto;

 

12- Por fim, é importante registrar para a sociedade que a Chesf continua garantindo a manutenção dos serviços médicos em respeito à população e à decisão judicial, bem como espera que estes esclarecimentos tranquilizem a população, vez que as equivocadas notícias que circulam não foram obtidas perante os órgãos administrativos desta Companhia, os quais sequer foram consultados previamente.

 

Paulo Afonso-BA., 01 de dezembro de 2019.

 

A DIRETORIA.




 







WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Comentários 12

  1. Michel Ferreira says:

    Deve estar nesse perrengue todo porque devem querer pagar uma “miséria de salário” para quem estudou 6 anos só de medicina e mais 3—5 anos de especialização, sem falar dos outros colaboradores, enfermeiros, técnicos, etc.

    • SOL says:

      eles já estão querendo tirar a responsabilidade de reta,o povo não usam o poder que tem,se preocupam em passar o resto da vida a mercê e morrer a míngua.

  2. Aninha says:

    IMAGINEM QUANDO PROVATIZAREM A CHES E PASSAREM O HOSPITAL PARA OUTRA ENTIDADE, UMA MISERIA….CADE OS BOSOMINIOS TODOS CALADINHOS COM O RABINHO ENTRE AS PERNAS OBEDECENDO AS ORDENS DO CAPITAO DE CAGAR UM DIA OUTRO NAO……………..

  3. Dr(a) says:

    Sou médico de equipe da PRESSAU, que prestava serviço ao Nair. Ouvi dos donos da empresa que há muito já alertavam a CHESF do curto tempo para realizar a licitação, mas deixaram para última hora (dia 15/12/19). Na última semana divulgou nota ao HNAS e ao Ministério Público da data final do contrato. Foi proposto pela CHESF renovar o contrato por 30 dias, mas essa opção não seria bom para a PRESSAU, pois dezembro é um mês difícil de fazer as escalas em função das festas de fim de ano, quando os colegas pedem melhor remuneração pelos plantões em datas festivas, o que encareceria o custo da empresa. De contra-proposta ofertou ficar mais 10 dias ou prorrogação por 3 meses, para diminuir o custo do mês de dezembro. Não teve nenhum outro contato ou resposta e não fez qualquer tipo de pressão sobre a CHESF. Assim como nós, nossos patrões também foram surpreendidos pela súbita chegada da nova empresa, que quer nos ofertar uma redução nos valores que recebíamos até então por nossos serviços. Foi o que ouvi bastante no hospital. Caso queiram, podem procurar os sócios da PRESSAU para ouvir a versão deles. Eles não tem qualquer responsabilidade sobre o que está ocorrendo no HNAS. Eu estou vendo de perto o que está ocorrendo lá.

  4. Funcionário says:

    Minha pergunta e: CADÊ OS ORTOPEDISAS???

  5. Para os medicos que apoiaram o Presidente e pouco muito kkkk says:

    Parabens filhos de francisco chavie pricipalmente a filha que batia no peito que bolsonaro era seu Presidente kkkkk como ela dever esta essa hora com o resultado da vitoria do seu Presidente tomee infelizmente o povo de Paulo afonso vai sofre mais acho e bom oque aconteceu kkkl Lula livre srmpre

    • Elias says:

      Bolsonaro nada tem a ver com isso. Os diretores da Chesf aida são ligados ao bandido Renan Calheiros e a petralhada corrupta. Lula, ladrao, seu lugar e na prisão!

  6. Michel Silva says:

    Tudo isso por ganância, ninguém quer sair perdendo (CHESF, PRESAL , TAMPOUCO OS MÉDICOS). Adivinha que sofre nessa história? a população.

  7. Destrambelhado says:

    Lamento pelos pacientes, aqueles sem plano de saúde. Pelos médicos não, votaram e adoravam o destrambelhado capitão.

    pelos sem planos de saúde

  8. SOL says:

    explicações e mais explicações,só falta publicar que a chesf tá fora ,quando a verdade a chesf tem obrigação e se vender ,passar a responsabilidade social que lhe cabe continuar.não queremos explicações ,queremos ações que potencialize a lacuna deixada por politicagem.

  9. Analista says:

    Vai ser uma campanha interessante em 2020.Nas caminhadas muitos candidatos vão sentir as pernas pesadas pensando ………..no uso de futuras………deixa pra lá.

  10. UM EX LULISTA says:

    ANINHA, O HOSPITAL JÁ TAVA UMA MERDA DESDE OS TEMPOS EM QUE SEU PT ESTAVA NO PODER. FALO ISSO COM CONHECIMENTO DE CAUSA. POIS TRABALHEI TRINTA E NOVE ANOS NA CHESF, E MINHA ESPOSA TRABALHOU LÁ TRINTA E QUATRO ANOS. A BAGACEIRA COMEÇOU LÁ NO HOSPITAL NAIR, JÁ FOI NOS DESGOVERNOS DO PT. VÁ RECLAMAR ASSIM NA BAIXA DA ÉGUA. SE O PT CONTINUA NO PODER, NEM GASOLINA IA TER. COM O QUE FIZERAM COM A PETROBRAS. .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!