14 de agosto de 2022

Trabalhadores informais terão acesso a previdência

São Paulo – O ministro da Previdência Social, José Pimentel, anunciou ontem, em São Paulo, a criação de um tipo de contribuição específica para os trabalhadores considerados informais e que garantirá a eles assistência previdenciária e aposentadoria. Segundo Pimentel, a contribuição, que será criada por meio de projeto de lei complementar, em tramitação na Câmara dos Deputados, classificará trabalhadores – como camelôs, feirantes, sacoleiros, pipoqueiros, borracheiros, doceiros, ou seja, pequenos negócios – como microempresários individuais. A estimativa do governo é a de que cerca de quatro milhões de pessoas estão nessa situação em todo o país.


 


Pimentel explicou que o microempresário individual será uma pessoa jurídica, terá isenção de todos os tributos federais e do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) estadual. Para ter direito aos benefícios da Previdência Social, contribuirá mensalmente com R$50, cobrados na conta de luz. Dessa maneira o microempresário individual não precisará de contabilidade nem de guias de recolhimento. “A intenção é firmar um grande convênio com cada empresa de energia elétrica e essa contribuição será cobrada por meio da conta de luz. Quando ele fizer o pagamento da conta de luz, imediatamente o órgão arrecadador já faz a transferência direta para a Previdência Social”, disse o ministro.


 


O projeto tem o objetivo de trazer esses trabalhadores à formalidade, já que eles terão registro no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), além de ficarem isentos de pagamento de Imposto de Renda. O sistema serve apenas para quem ganha até R$36 mil por ano. Para ter direito à aposentadoria por idade, o contribuinte terá que pagar 11% do valor de um salário mínimo.



Homens poderão se aposentar aos 65 anos e mulheres aos 60 anos. “A intenção é cada vez mais fazer a inclusão previdenciária e criar uma grande rede de proteção nacional.


 


Hoje esses trabalhadores quando adoecem não têm qualquer proteção. Quando chegam na terceira idade ficam dependendo da lei orgânica da assistência social. Queremos dar dignidade e cidadania com esse processo”, afirmou Pimentel.


 


***


Contribuição Previdênciária


Microempresário individual


Contribuição: 11% do salário mínimo
Tributos: R$50
Pagamento: Na conta de luz
Isenção: Tributos federais e ICMS


 


***


Número de contribuintes cresce


 


De acordo com o ministro José Pimentel, em 2003 a Previdência contava com 27 milhões de contribuintes e em maio de 2008 esse número havia pulado para 36,9 milhões, um crescimento de mais de 36%. Na avaliação de José Pimentel, esse salto ocorreu por conta do crescimento econômico, que resultou na formalização dos contratos de trabalho, e da lei Geral da Micro e Pequena Empresa, que entrou em vigor em julho de 2007, quando havia 1,337 milhão de micros e pequenos empresários. Segundo ele, em maio deste ano esse número já chegava a mais de três milhões.


 


O ministro participou da abertura da segunda edição do seminário Previdência como Instrumento de Proteção Social, que tem o objetivo de disseminar informações sobre o panorama atual da Previdência e seus desafios para o futuro, além de envolver a sociedade em um debate público em torno do tema.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!