11 de agosto de 2022

Lula Cabeleira é denunciado pelo Ministério Público

O Ministério Público de Alagoas encaminhou a 17ª Vara Criminal da Capital o nome do empresário e ex-prefeito de Delmiro Gouveia, Luis Carlos Costa, “Lula Cabeleira” , para inclusão na ação penal pública relacionada ao assissinato do vereador Fernando Aldo, ocorrido dia 1º de outubro do ano passado.


 


No aditamento à denúncia, o promotor de Justiça de Mata Grande, Cláudio Moreira Teles, e integrantes do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) asseguram, baseados em provas obtidas no decorrer do inquérito policial e reforçadas durante a instrução processual, que existem indícios suficientes da participação de Lula Cabeleira como autor intelectual do crime, juntamente com o deputado estadual Cícero Ferro, denunciado em janeiro deste ano.

A denuncia contra Cícero Ferro foi encaminhada, de início, ao Tribunal de Justiça de Alagoas, devido ao foro por prerrogativa de função do deputado, mas após seu afastamento em decorrência do indiciamento na Operação Taturana, os autos seguiram para a 17ª Vara, onde já tramitavam os autos relacionados aos autores materiais – Dílson Alves, Carlos Marlon Gomes Ribeiro, Eliton Alves Barros (“Wellington”) e Eronildo Alves Barros (“Nildo”) – também denunciados pelo MP.

Integrante da Câmara Municipal de Delmiro Gouveia, Fernando Aldo foi assassinado, ironicamente, no Dia Nacional do Vereador (1º de outubro). Segundo os integrantes do MP alagoano, trata-se de um de crime de mando, com motivação política, meticulosamente planejado com o propósito de dificultar a produção de provas diretas, sobretudo as provas testemunhais.
Ainda segundo o MP alagoano, o crime foi encomendado em setembro de 2007, pelo deputado Cícero Ferro em consórcio com Lula Cabeleira, seu aliado político.

“Durante o pleito eleitoral de 2006, as desavenças entre a vítima e o empresário Lula Cabeleira saíram da esfera política e passaram aos ataques pessoais, fortalecidas com a aliança com o então deputado Cícero Ferro, se descortinando o cenário político favorável ao crime de mando sob exame, uma vez que já se vislumbrava a futura disputa política pela Prefeitura de Delmiro Gouveia entre o vereador Fernando Aldo e o Lula Cabeleira, que contaria, certamente, com o apoio de Cícero Ferro em retribuição por seu apoio para deputado estadual”, relatam os promotores de Justiça.

No aditamento, eles também ressaltaram, entre outras coisas, a existência dia uma carta escrita pelo próprio Fernando Aldo, na qual ele atribuía qualquer ato praticado contra a sua vida ou a de seus familiares a Lula Cabeleira. O empresário cumpre prisão preventiva, por determinação dos juízes da 17ª Vara. Já o deputado afastado Cícero Ferro teve prisão preventiva decretada, mas foi solto graças a habeas corpus concedido pelo Superior tribunal de Justiça (STJ).


 


Fonte: ASCOM Ministério Público de Alagoas

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!