29 de maio de 2024

Efeito Dominó – Artigo do professor Nelson criticando postura do prefeito Anilton

Por

Impressionante o poder de camuflagem que tem o gestor municipal. Recentemente os profissionais da Educação organizaram uma paralisação por melhores salários e a


criação do plano de cargos e salários. Entretanto o resultado não foi o esperado pela categoria, ou seja, o senhor prefeito falou aos representantes da categoria que só pretende falar sobre o assunto após a eleição.


 


Bem, se esses profissionais estão desde maio de 2010 tentando uma negociação com o gestor e a secretária de educação e a única proposta que foi apresentada é que, até o final de novembro, o plano de cargos e salários será entregue à Câmara, isso mostra que não existe compromisso da parte dessas pessoas para com os professores e funcionários que fazem de tudo para manter o nível de conhecimento dos discentes dentro da média exigida pelo IDEB, conforme os resultados apresentados em 2010.


 


Mesmo assim os profissionais da educação estão cumprindo com o que lhes são atribuídos, ou seja, desenvolver um ensino de qualidade. Todavia, há de se questionar, por que mesmo assim o gestor não reconhece o empenho, o compromisso e a responsabilidade dessas pessoas que realizam um trabalho, muitas vezes, sem as devidas condições mínimas, isto é, as turmas são superlotadas, alunos descompromissados, as famílias, na sua maioria, não cumprem o dever de acompanhar o desempenho dos filhos na escola, não só na questão do rendimento, mas principalmente, comportamento, respeito aos colegas, aos professores e a conservação do patrimônio público.


 


Entretanto, essa é a realidade do sistema educacional em Paulo Afonso. Mas e aí, onde está o efeito dominó? É fácil ser observado. O prefeito alega que só vai atender a categoria que representa os profissionais da Educação após a eleição, e ainda diz que não é questão política, mas vamos dar crédito que não seja.


 


Portanto, se a prefeitura não tem condição de melhorar o salário dos profissionais da Educação, como é que tem tanto dinheiro para financiar grandes festas: São João, São Pedro, Motocross, Encontro de motociclistas, Copa Vela e outras mais. Tudo bem, o argumento é que com a realização dessas festas aumenta-se a arrecadação de impostos e são criados empregos temporários.


 


Aí está a camuflagem e o efeito dominó, isto é, com a arrecadação de mais impostos e geração de empregos temporários, certamente, somando-se esses valores à verba do FUNDEB, que não é pouca, pode-se melhorar sim, o salário dos profissionais da Educação. Pois, com a realização de festas aumenta-se o número de visitantes a Paulo Afonso, aumenta o consumo de bebidas e outras drogas, aumenta o índice de violência na cidade, aumenta a rebeldia dos filhos contra os


pais pedindo-lhes dinheiro, caso os pais não ajam assim, ficam revoltados e com isso, deixam de frequentar as aulas ou quando vão, criam problemas nas escolas com colegas e professores.


 


Assim, os professores que não tiveram seus salários reajustados precisam ser além, de educadores: psicólogos, psicopedagogos, conselheiros, fonoaudiólogos, e outras coisas mais.


 


Críticas e sugestões, favor entrar em contato: nelsoneduc@gmail.com

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!