27 de maio de 2024

Euclides Batista Filho: Hoje eu chorei ao recordar o nosso Hospital Nair Alves de Souza de outrora

Por


OZILDOALVES.COM.BR – CONTATO


Mensagem enviada através do site em 11/8/2010 – 23h6m


=============================================================


 


Nome: Euclides Batista Filho


E-mail: euclides.eva@hotmail.com


 


Mensagem: MÉDICO é o especialista da saúde do corpo, seja em seus aspectos preventivos, seja em seus aspectos curativos. Médico é o homem do qual se espera o remédio para a dor física e para toda sorte de males, doenças e enfermidades, endêmicas ou epidêmicas. Para o desempenho de sua função, sempre tida em alto conceito por todas as comunidades humanas, o médico deve possuir eminentes qualidades.


 


Em primeiro lugar, uma grande competência profissional, que ele adquire não só através de um curso realizado com seriedade escrupulosa, como através de um esforço sempre renovado de atualização. Em segundo lugar, o médico deve possuir um


profundo senso de compreensão humana. Sem se deixar implicar emocionalmente em cada caso, o médico deve saber assumir cada dor humana como se fosse sua, no combate por rechaçar o domínio da morte. Nunca se pode rebaixar ao nível de um mercenário da dor. Um consultório médico não é uma empresa comercial.


 


Por tudo isto, o médico deve possuir uma excepcional capacidade de sacrifício. É uma forma de sacerdócio leigo que exige uma


vocação toda especial, sem a qual jamais estará à altura do juramento, que as gerações de médicos repetem desde quatro séculos antes de Cristo.


 


Hoje eu chorei ao recordar o nosso Hospital Nair Alves de Souza de outrora, quando éramos felizes sem saber. Eu não sabia que aquele garoto arrogante (talvez estudante, talvez residente) havia comprado o HNAS que eu ajudei a construir, ainda “de menor”. Achei que o HNAS ainda fosse propriedade da empresa CHESF, apesar do convênio com o SUS e dos estudos para estadualização do nosocômio. A CHESF nasceu em 1948 e em 1949 o Dr. Lourival Muccini foi contratado para administrar o pequeno ambulatório que, construído entre mandacarus e xiquexiques, socorria operários acidentados nas obras que começavam, principalmente nas escavações dos túneis.


 


Ao longo do tempo aquele MÉDICO cercou-se de homens como Dr. Militão, Dr. Teixeira, Dr. Edson, Dr. Américo, Dr. Roque, Dr. Eloi, Dr. Brito, Dr. Arnaldo, Dr. Francisco, Dr. Zezinho, Dr. Claudionor, Dr. Orlando e outros heróis, que fizeram do HNAS o que ele é hoje. A maioria dos médicos do HNAS de hoje é de profissionais vocacionados e humanos. Porém, uma minoria talvez se julgue Dr. Barnard, ou Dr. Zerbini, ou Dr. Pitanguy, ou até mesmo (quem sabe?) Candeeiro ou Zé Sereno. A gritaria é geral.


 


Basta averiguar com critério e seriedade. Sou 100% cidadão e dos meus direitos eu não abro mão.


 

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!