7 de julho de 2022

Um basta ao “macete”

OZILDOALVES.COM.BR – CONTATO


Mensagem enviada através do site em 15/4/2009 – 22h1m


=============================================================


 


Nome: hely


E-mail: [email protected]


 


Mensagem: Um basta ao “macete”


 


Para quem já ouviu falar nesta palavra, fica fácil entendê-la quando usada nos colóquios do dia-a-dia de todo brasileiro. Este termo está presente nos dicionários com o sentido, dentre outros, de ” um meio engenhoso usado na consecução de algo ou para chegar-se a determinado resultado,”  seria um recurso, truque ou um artifício.


Mas porque este autor está a repudiar tal acepção? Qual seria o motivo de sua rejeição, já que este é tão clamado com tanta intensidade nos muitos cursinhos espalhados pelo país ?


 


Daí, caro leitor, eu respondo. Meu repúdio, minha ojeriza, minha aversão, minha antipatia pelo termo, não está no seu uso com o intuito de crescer profissionalmente, como faz o aluno obstinado por uma vaga em concurso público, mas sim na utilização deste recurso quando este aluno consegue o tão sonhado cargo público,  por ser ele revestido de ” estabilidade econômica “,  nos muitos momentos em que  se deve cumprir a função devida, passando a elaborar , dia após dia,  diversos meios de não  fazê-lo: como surgir com desculpas já “batidas” de doença, quando na verdade só um simples resfriado o incomoda, ou quando quer fazer aquela viagem de última hora para algum destino de prazer e diversão, ou até mesmo quando vão ao local de trabalho, e simplesmente não trabalham, conversam sobre a vida, os astros, a política, o salário… vale lembrar que esse último tema de discussão é sempre muito remoído nas conversas de todo dia. Sim, porque o salário sempre é


insuficiente, mesmo que seja dez vezes o valor do mínimo vigente, e as greves……ah! as greves, elas são “tudo de bom”(para os funcionários,claro!)recorrentes, caem como uma luva para


fazer p.ex.aquela faxina na casa ou consertar o carro.


 


Infelizmente, não há mais como se exigir, ou muitas vezes fiscalizar seu trabalho, já que, ironicamente, a burocracia os salva, e  quando esse evento acontece, o que mais se observa nos corredores(já notaram como os corredores estão repletos de funcionários que não trabalham ali, naquele local) são surtos de histeria, com alegações diversas, seja a produção escrava exigida, seja a insuperável falta de pessoal para a realização de tarefas atribuídas, acarretando acúmulo de serviço. O mais incrível de tudo é que a culpa é sempre do Estado, sempre. O que ocorre no Brasil é que as pessoas que com “macetes” conseguem preencher um cargo público, se apropriam dos mesmos, e nada fazem, ou não fazem o que deveriam. E, consequentemente, quem paga por tudo isso no final das contas são os cidadãos, que os mantém pagando incontáveis impostos, pois com a burocracia infernal que reina no


Brasil, tanto é difícil resolver seus problemas de forma mais eficaz, como tirar do sistema este novo- e viciado- funcionário público  “macetoso”,  permanecendo no marasmo de seu bom e


disputado cargo público

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!