15 de agosto de 2022

Aprovado pedido que determina ao TJBA contratar servidores concursados

O pleno do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou por unanimidade, nesta terça-feira (27/01), processos da relatoria do conselheiro Joaquim Falcão em que foram considerados procedentes 16 pedidos de providências referentes à nomeação de 21 pessoas aprovadas em concursos realizados pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), dentro do número de vagas previstas em dois editais, publicados em 2003 e 2006.


 


O primeiro edital é referente ao preenchimento de 1.328 vagas e o segundo (de 2006), voltado para o preenchimento de 1.349 cargos, nos mais diversos setores. O voto do relator foi favorável ao pedido dos servidores, que alegaram ter direito adquirido às vagas, uma vez que foram aprovados nos mencionados concursos.


 


Falcão, entretanto, fez uma recomendação para encaminhamento a todos os Tribunais de Justiça do país: daqui por diante, somente devem ser incluídas, para preenchimento em concurso público, vagas previamente definidas em previsão orçamentária de tais tribunais – ou, ao menos, durante a gestão do presidente em questão.


 


Planejamento – De acordo com o conselheiro, a recomendação está baseada na necessidade, por parte dos tribunais, de aprimorar suas técnicas de planejamento e gerenciamento e, em conseqüência, de realizar concursos mais realistas. “É importante que não sejam mais observados casos como esses, de candidatos serem aprovados e terem que percorrer uma verdadeira ‘via crucis’ para serem contratados”, enfatizou.


 


Joaquim Falcão disse, ainda, que sua decisão tomou como base dois contextos. Em primeiro lugar, processo relatado anteriormente no próprio CNJ pelo conselheiro João Oreste Dalazen, que criou jurisprudência a respeito do tema.  E em segundo lugar, as conclusões da inspeção realizada pela corregedoria do CNJ, ano passado, no Judiciário da Bahia.


 


Ao todo, foram incluídos na pauta 34 pedidos de procedimento referentes a concursos no TJBA. Destes, 16 foram julgados e considerados procedentes por parte do relator. Os demais foram retirados de pauta porque Joaquim Falcão entendeu que existem outras questões a serem analisadas, como é o caso de servidores nomeados na categoria “cliente C” – categoria sobre a qual o Conselho já pediu maiores informações ao tribunal baiano.


 


Agência CNJ de Notícias 


 


Conselho Nacional de Justiça – Assessoria de Comunicação
(61) 3217-4998 


 

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Comentários 0

  1. Roberta (mãe) says:

    Ozildo gostaria que voce fosse a DIREC falar com Pedro Fernandes o diretor da DIREC a respeito do novo diretor do Colégio Luis Eduardo pois sou mãe de aluno os poucos dias que Alex fincou como diretor interino levantou a moral do colégio porque estava muito feio o colegio no momento que ele assumiu a presença do colégio esta outro , então porque não deixar Alex como diretor,gostaria muito que vocês comente esta nota na Rádia.

  2. Carlos (pai) says:

    Ozildo gostaria que voce entrasse em contato com Pedro da DIREC, minha pergunta porque o vice Alex que estava iniciando o bom trabalho dentro de poucos dias mundou o visual do Colégio já que é democracia e aquela votação ipressiva sabemos que foi pela sipatia de Alex não nenospressando os outros ele é o melhor para o Colégio como Diretor e porque só na Eduçação o vice não pode atuar como diretor,gostaria muito desta nota na sua radia ou mesmo gostaria que voce fosse fazer uma vizita no Colégio Luis Eduardo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!