5 de julho de 2022

Mais um acusado de matar mulher na Prainha é preso pela polícia


O enfermeiro desempregado André de Oliveira Lima de 38 anos, foi preso em Aracajú – SE, na última quarta-feira pela Polícia Civil de Paulo Afonso, sob o comando do Delegado Titular Hidelbrando Alves com o apoio do SI (Serviço de Investigação).


 


André é um dos três acusados do assassinato da dona do quiosque “Entre as Estrelas” Maria Lúcia Fabrício Braz de 58 anos, mais conhecida como Dona Lucinha, localizado no Balneário Prainha em Paulo Afonso – BA.


 


O crime aconteceu no dia 26 de novembro do ano passado na residência da própria vítima, na Rua Herbert de Souza no Bairro Prainha. No mês passado, a polícia havia prendido Roberval Ferreira de Lima, que era o cozinheiro do quiosque, na oportunidade, o mesmo confessou que apenas assistiu ao crime e ajudou a esconder o corpo.


 


Para a Delegada da Mulher Mirela Santana que está à frente do caso, o crime já está elucidado, faltando prender apenas o terceiro e último envolvido, conhecido por “Van”. André e Van eram inquilinos de Dona Lucinha e eram muito mais que amigos, como ele mesmo confessou quando foi perguntado pela equipe do site www.ozildoalves.com.br – Paulo Afonso Agora – o que ele era do “Van”: “Eu tinha um caso com ele, era meu parceiro sexual, mas hoje não temos mais nada”.


 


Em seu depoimento na delegacia, André que é enfermeiro, disse que a vítima dona Lucinha foi morta asfixiada: “Eu e o “Van” precisávamos de dinheiro para ir embora de Paulo Afonso e sabíamos que ela tinha dinheiro no banco, o Van perguntou o que fazia uma pessoa dormir, eu disse que era formol, fui até uma farmácia no centro de Paulo Afonso, comprei o formol e já na casa dela, esperamos o momento certo para agir, quando ela foi para o quintal, o “Van” por trás com o lenço encharcado de formol pressionou sobre o rosto dela, eu a segurei e a levei para a cozinha, lá ela arriou. Nós não tínhamos a intenção de matá-la, mas, quando verifiquei no pulso dela , já estava morta. Depois disso vasculhamos a sua bolsa para encontrar o cartão e a senha do banco, encontramos apenas o cartão. Mesmo assim fomos ao banco, para ver se a senha era a data de nascimento dela, mas não conseguimos nada. Então pegamos apenas trezentos reais que estavam dentro da bolsa dela e dois cheques no valor cada um de seiscentos reais, foi quando eu disse ao “Van” matamos a Lucinha por causa de trezentos reais. Como o dinheiro ainda era pouco para a viagem, roubamos alguns objetos como ventilador, ferro e duas bolsas dela.”


 


O acusado disse ainda que ficou com medo de dormir na casa com a dona Lucinha morta: “Eu disse ao “Van” que não iria conseguir dormir com ela morta na mesma casa, foi quando resolvemos amarrar suas mãos e pés e colocar o seu corpo em baixo do balcão da cozinha, mesmo assim eu não consegui dormir, ele (Van) dormiu tranquilo”. De madrugada resolvemos ficar na pousada em frente à Rodoviária de Paulo Afonso e pela manhã pegamos um ônibus com destino a cidade de São Miguel dos Campos – AL.”


 


A compensação dos cheques da vítima e um número de telefone de Sergipe encontrado nos pertences de André foram peças fundamentais para a polícia chegar até o acusado. O Delegado Regional de Paulo Afonso que também investiga o caso parabenizou sua equipe e disse que agora é questão de tempo para prender o último acusado.


 

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!