10 de agosto de 2022

Leitor de Paulo Afonso: ‘INSS maltrata nossos velhinhos!’; veja relato

 Por Eraldo Sá

INSS MALTRATA NOSSOS VELHINHOS

Caso tenha alguém da família não alfabetizado acompanhe-o, não deixe-o ir sozinho por favor.

Caro Ozildo, minha mãe Dona Almerinda Pereira de Sá,78 ANOS aposentado sob o nº 146.080.714-3 a mais de 5 anos, recebeu um Ofício de defesa de nº 228/2013/ET MOB – BENEFICIO/GEX JUAZEIRO EM 16 DE Outubro de 2013. Dizendo que a Previdência Social, após a avaliação que trata o artigo 11 da Lei nº 10.666, de 8 de maio de 2003 identificou indício de irregularidade que consiste em “Falta de comprovação o efetivo exercício de atividade rural, ainda que de forma descontínua, no período imediatamente anterior ao requerimento do benefício, por tempo igual ao número de meses de contribuição correspondente à carência do benefício, pretendido, conforme preceitua art. 48, § 2º da Lei 8.213/91 “.

E que se não for provado regularidade, minha mãe terá que devolver aos cofres públicos uma quantia de R$ 35.200,46 (trinta e cinco mil, duzentos e quarenta e seis centavos).
OBS. NOS DERAM 10 DIAS PARA APRESENTAR AS PROVAS.

Eu Heraldo Pereira de Sá filho de Dona Almerinda, consultei um advogado e o mesmo preparou a defesa, juntei aos documentos e pedi para que minha mãe encaminhasse até à agência do INSS local e entregasse como eles nos pediu. Acredito que isso deve ter sido entregue no máximo em 5 dias.

Infelizmente eu não pude ir com minha mãe pois eu tinha compromissos que hora me impediram. Ao chegar em casa indaguei minha mãe, cadê o protocolo de entrega dos documentos, minha mãe respondeu dizendo que a pessoa que atendeu não lhe deu nenhum documento de volta. Minha mãe não é alfabetizada e não se importou, eu sim me preocupei pois não tínhamos como provar.

Mas eu confiei no funcionários do INSS e aguardamos a decisão. (Foi meu erro) pois eu tinha tempo para ir lá e conferir ou até mesmo cobrar do atendente o protocolo de entrega da defesa.
DA DECISÃO

No dia 29 de Outubro de 2013, Ofício 051/2013/ ET MOB – BENEFÍCIO/GEX JUAZEIRO MENCIONA O SEGUINTE DA DECISÃO:

Decorrido o prazo de dez dias sem apresentação de defesa escrita e provas ou novos elementos que pudessem caracterizar o direito ao benefício, comunicamos que o pagamento do seu benefício foi suspenso. Sendo assim, em cumprimento ao disposto no artigo 305 do Regulamento da Previdência Social aprovado pelo Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999, facultamos ao (à) Senhor (a) o prazo de trinta dias para recorrer desta decisão.

MINHA INDIGNAÇÃO
Ozildo, eu pergunto a essa funcionária que atendeu minha mãe onde é que a senhora enfiou os documentos apresentados?
Segundo minha mãe 78 anos não se lembra da fisionomia da pessoa e também não é pra menos.
Ela é a responsável direta da suspenção do pagamento de minha mãe por incompetência, pois eu tenho plena certeza que ela não soube scanner os documentos e mais adiante vocês vão entender o porquê.

DESPREPARO TOTAL POR PARTE DOS FUNCIONÁRIOS
Caros aposentados tomem cuidado, minha mãe foi vítima de despreparo e posso provar, entendam os procedimentos após minha análise.
Os atendentes anteriormente recebiam xerox dos documentos solicitados para aposentadoria agora o contribuinte deve apresentar a original e os atendentes devem scanner e devolver os originais. Foi ai que observei o total despreparo por parte dos funcionários.

FOMOS RECLAMAR SOBRE A DECISÃO

Fizemos um agendamento através do 135 da previdência para tentarmos saber o porquê da suspensão, estando todos os documentos corretos.

Ao sermos atendido eu e minha mãe, indagamos sobre a defesa e os documentos exigidos entregues na primeira defesa eles não souberam dizer e chamaram o agende de Juazeiro o Sr. CÉLIO CESAR FONSECA.

Explicamos para e dissemos que minha mãe havia sim entregue os documentos e que a funcionária não deu nenhum comprovante para ela. O agente muito atencioso nos explicou que sem o protocolo não poderia fazer mais nada e que nos dava mais 30 dias para impetrar uma segunda defesa, foi ai que eu resolvi me envolver mesmo de corpo e alma pois isso foi um absurdo terem se aproveitado da de uma senhora idosa de 78 anos e não alfabetizada.
Perguntei a ele o porquê dessa investigação uma vez que já fazem 5 anos que minha mãe está aposentada?
Ele nos disse que se tratava de uma investigação chamada na época de OPERAÇÃO BENEFÍCIO cuja mesma tinha alguns funcionários do INSS envolvidos com fraudes nas aposentadorias.

Perguntei também quais eram os documentos que faltavam e qual era o tipo de suposta irregularidade num linguajar menos técnico.
Para minha segurança e não esquecer dos documentos faltantes ele me explicou com muita educação e paciência até gravei a conversa vocês podem ouvir a gravação que inclusive prova que a documentação entregue está correta.
Minha mãe se aposentou como agricultora Rural com as terras de meu pai sendo necessário comprovar 180 meses ou seja 15 anos de ITR`S informados a Receita Federal.

DA 2 º DEFESA

Caro Ozildo, eu mesmo me baseando na 1º já elaborada resolvi preparar a 2º e entregar juntamente com minha mãe entregar.
 

Na verdade o que faltava era o seguinte:
Segundo o SR. Celio Cesar Fonseca e conforme os ofícios, apenas 11 meses de ITR comprovados ou seja 1991-1992-1993-1998-1999-2000-2001-2003-2004-2005-2006 e que entre 1993 a 1998 existe um espaçamento de 4 anos somente sendo permitido de 3 anos. E que com apenas o ITR de 1994 e 1997 resolveria mas fomos muito mais além.
Preparei a defesa e entreguei os seguintes documentos (ITR) Imposto Territorial Rural:
ITR 1990-1994-1997 e 1995 e 1996 Meu pai foi até a Receita Federal local e pegou esses dois últimos comprovantes e anexamos completando assim 16 anos além de outros documentos.
Para minha surpresa à atendente não conseguiu ESCANNEAR os documentos pois o tamanho do arquivo que gerava era superior ao tamanho suportado pelo sistema do INSS.
Eu percebi ela perdendo a paciência pois estávamos ali a mais de 1 hora, e ela pedia ajuda aos colegas e eles também não sabiam o que estava acontecendo, mas eu sim já sabia pois tenho experiência na área ela deveria fazer era encontrar uma ferramenta para diminuir o tamanho do arquivo para que ele pudesse ser anexado isso &ea��������¡I�� ��

 Por Eraldo Sá

INSS MALTRATA NOSSOS VELHINHOS

Caso tenha alguém da família não alfabetizado acompanhe-o, não deixe-o ir sozinho por favor.

Caro Ozildo, minha mãe Dona Almerinda Pereira de Sá,78 ANOS aposentado sob o nº 146.080.714-3 a mais de 5 anos, recebeu um Ofício de defesa de nº 228/2013/ET MOB – BENEFICIO/GEX JUAZEIRO EM 16 DE Outubro de 2013. Dizendo que a Previdência Social, após a avaliação que trata o artigo 11 da Lei nº 10.666, de 8 de maio de 2003 identificou indício de irregularidade que consiste em “Falta de comprovação o efetivo exercício de atividade rural, ainda que de forma descontínua, no período imediatamente anterior ao requerimento do benefício, por tempo igual ao número de meses de contribuição correspondente à carência do benefício, pretendido, conforme preceitua art. 48, § 2º da Lei 8.213/91 “.

E que se não for provado regularidade, minha mãe terá que devolver aos cofres públicos uma quantia de R$ 35.200,46 (trinta e cinco mil, duzentos e quarenta e seis centavos).
OBS. NOS DERAM 10 DIAS PARA APRESENTAR AS PROVAS.

Eu Heraldo Pereira de Sá filho de Dona Almerinda, consultei um advogado e o mesmo preparou a defesa, juntei aos documentos e pedi para que minha mãe encaminhasse até à agência do INSS local e entregasse como eles nos pediu. Acredito que isso deve ter sido entregue no máximo em 5 dias.

Infelizmente eu não pude ir com minha mãe pois eu tinha compromissos que hora me impediram. Ao chegar em casa indaguei minha mãe, cadê o protocolo de entrega dos documentos, minha mãe respondeu dizendo que a pessoa que atendeu não lhe deu nenhum documento de volta. Minha mãe não é alfabetizada e não se importou, eu sim me preocupei pois não tínhamos como provar.

Mas eu confiei no funcionários do INSS e aguardamos a decisão. (Foi meu erro) pois eu tinha tempo para ir lá e conferir ou até mesmo cobrar do atendente o protocolo de entrega da defesa.
DA DECISÃO

No dia 29 de Outubro de 2013, Ofício 051/2013/ ET MOB – BENEFÍCIO/GEX JUAZEIRO MENCIONA O SEGUINTE DA DECISÃO:

Decorrido o prazo de dez dias sem apresentação de defesa escrita e provas ou novos elementos que pudessem caracterizar o direito ao benefício, comunicamos que o pagamento do seu benefício foi suspenso. Sendo assim, em cumprimento ao disposto no artigo 305 do Regulamento da Previdência Social aprovado pelo Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999, facultamos ao (à) Senhor (a) o prazo de trinta dias para recorrer desta decisão.

MINHA INDIGNAÇÃO
Ozildo, eu pergunto a essa funcionária que atendeu minha mãe onde é que a senhora enfiou os documentos apresentados?
Segundo minha mãe 78 anos não se lembra da fisionomia da pessoa e também não é pra menos.
Ela é a responsável direta da suspenção do pagamento de minha mãe por incompetência, pois eu tenho plena certeza que ela não soube scanner os documentos e mais adiante vocês vão entender o porquê.

DESPREPARO TOTAL POR PARTE DOS FUNCIONÁRIOS
Caros aposentados tomem cuidado, minha mãe foi vítima de despreparo e posso provar, entendam os procedimentos após minha análise.
Os atendentes anteriormente recebiam xerox dos documentos solicitados para aposentadoria agora o contribuinte deve apresentar a original e os atendentes devem scanner e devolver os originais. Foi ai que observei o total despreparo por parte dos funcionários.

FOMOS RECLAMAR SOBRE A DECISÃO

Fizemos um agendamento através do 135 da previdência para tentarmos saber o porquê da suspensão, estando todos os documentos corretos.

Ao sermos atendido eu e minha mãe, indagamos sobre a defesa e os documentos exigidos entregues na primeira defesa eles não souberam dizer e chamaram o agende de Juazeiro o Sr. CÉLIO CESAR FONSECA.

Explicamos para e dissemos que minha mãe havia sim entregue os documentos e que a funcionária não deu nenhum comprovante para ela. O agente muito atencioso nos explicou que sem o protocolo não poderia fazer mais nada e que nos dava mais 30 dias para impetrar uma segunda defesa, foi ai que eu resolvi me envolver mesmo de corpo e alma pois isso foi um absurdo terem se aproveitado da de uma senhora idosa de 78 anos e não alfabetizada.
Perguntei a ele o porquê dessa investigação uma vez que já fazem 5 anos que minha mãe está aposentada?
Ele nos disse que se tratava de uma investigação chamada na época de OPERAÇÃO BENEFÍCIO cuja mesma tinha alguns funcionários do INSS envolvidos com fraudes nas aposentadorias.

Perguntei também quais eram os documentos que faltavam e qual era o tipo de suposta irregularidade num linguajar menos técnico.
Para minha segurança e não esquecer dos documentos faltantes ele me explicou com muita educação e paciência até gravei a conversa vocês podem ouvir a gravação que inclusive prova que a documentação entregue está correta.
Minha mãe se aposentou como agricultora Rural com as terras de meu pai sendo necessário comprovar 180 meses ou seja 15 anos de ITR`S informados a Receita Federal.

DA 2 º DEFESA

Caro Ozildo, eu mesmo me baseando na 1º já elaborada resolvi preparar a 2º e entregar juntamente com minha mãe entregar.
 

Na verdade o que faltava era o seguinte:
Segundo o SR. Celio Cesar Fonseca e conforme os ofícios, apenas 11 meses de ITR comprovados ou seja 1991-1992-1993-1998-1999-2000-2001-2003-2004-2005-2006 e que entre 1993 a 1998 existe um espaçamento de 4 anos somente sendo permitido de 3 anos. E que com apenas o ITR de 1994 e 1997 resolveria mas fomos muito mais além.
Preparei a defesa e entreguei os seguintes documentos (ITR) Imposto Territorial Rural:
ITR 1990-1994-1997 e 1995 e 1996 Meu pai foi até a Receita Federal local e pegou esses dois últimos comprovantes e anexamos completando assim 16 anos além de outros documentos.
Para minha surpresa à atendente não conseguiu ESCANNEAR os documentos pois o tamanho do arquivo que gerava era superior ao tamanho suportado pelo sistema do INSS.
Eu percebi ela perdendo a paciência pois estávamos ali a mais de 1 hora, e ela pedia ajuda aos colegas e eles também não sabiam o que estava acontecendo, mas eu sim já sabia pois tenho experiência na área ela deveria fazer era encontrar uma ferramenta para diminuir o tamanho do arquivo para que ele pudesse ser anexado isso &ea��������¡I�� ��

 Por Eraldo Sá

INSS MALTRATA NOSSOS VELHINHOS

Caso tenha alguém da família não alfabetizado acompanhe-o, não deixe-o ir sozinho por favor.

Caro Ozildo, minha mãe Dona Almerinda Pereira de Sá,78 ANOS aposentado sob o nº 146.080.714-3 a mais de 5 anos, recebeu um Ofício de defesa de nº 228/2013/ET MOB – BENEFICIO/GEX JUAZEIRO EM 16 DE Outubro de 2013. Dizendo que a Previdência Social, após a avaliação que trata o artigo 11 da Lei nº 10.666, de 8 de maio de 2003 identificou indício de irregularidade que consiste em “Falta de comprovação o efetivo exercício de atividade rural, ainda que de forma descontínua, no período imediatamente anterior ao requerimento do benefício, por tempo igual ao número de meses de contribuição correspondente à carência do benefício, pretendido, conforme preceitua art. 48, § 2º da Lei 8.213/91 “.

E que se não for provado regularidade, minha mãe terá que devolver aos cofres públicos uma quantia de R$ 35.200,46 (trinta e cinco mil, duzentos e quarenta e seis centavos).
OBS. NOS DERAM 10 DIAS PARA APRESENTAR AS PROVAS.

Eu Heraldo Pereira de Sá filho de Dona Almerinda, consultei um advogado e o mesmo preparou a defesa, juntei aos documentos e pedi para que minha mãe encaminhasse até à agência do INSS local e entregasse como eles nos pediu. Acredito que isso deve ter sido entregue no máximo em 5 dias.

Infelizmente eu não pude ir com minha mãe pois eu tinha compromissos que hora me impediram. Ao chegar em casa indaguei minha mãe, cadê o protocolo de entrega dos documentos, minha mãe respondeu dizendo que a pessoa que atendeu não lhe deu nenhum documento de volta. Minha mãe não é alfabetizada e não se importou, eu sim me preocupei pois não tínhamos como provar.

Mas eu confiei n

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!