5 de julho de 2022

Cícero Ferro acusa irmão de deputada no assassinato de Fernando Aldo

Na tarde desta terça-feira, 26, o deputado Cícero Ferro – que continua comparecendo às sessões na ALE – concedeu entrevista coletiva à imprensa para rebater as acusações feitas por Dílson Alves e disse que o nome do suposto mandante do assassinato de Fernando Aldo estaria na parte que ele diz ter ‘sumido’ do inquérito e que lhe entregaram de forma anônima, em março deste ano.


 


Ferro disse que existem escutas telefônicas onde Júnior Lisboa, irmão da deputada Kátia Lisboa, aparece tendo a prisão preventiva decretada devido ao crime. O deputado afastado leu um trecho em que Junior é informado de que existe contra ele um mandado de prisão preventiva. E que o informante teria pedido para Junior Lisboa fugir e mudar de carro. Junior teria respondido que iria para muito longe.


 


“Junior Lisboa foi acusado pela morte de Fernando Aldo e rasgaram sua prisão preventiva. Eu e Lula (Empresário Lula Cabeleira) não tivemos nada a ver com esse crime. As ligações foram retiradas do processo para me incriminar. Vão atrás do Junior Lisboa, cuja pedido de prisão desapareceu”, disse Ferro.


Cícero Ferro disse ainda que Dílson Alves recebeu dinheiro para acusá-lo. “Foi uma armação grosseira feita para me acusar. É o terceiro depoimento que ele muda. Primeiro ele me acusou, depois me inocentou e agora voltou atrás novamente”, comentou, acrescentando que possui uma gravação onde Dílson o inocenta e diz que foi pressionado pela 17ª Vara para acusá-lo.


 


Ferro confirmou que pagou R$ 2 mil ao policial militar, mas justificou que foi apenas por gratidão. Segundo ele, o valor seria para custear o tratamento da irmã de Dílson, que foi acometida por um câncer. “Eu devia um favor porque naquele atentado em Minador do Negrão, foi ele quem avisou onde os bandidos estavam escondidos”, afirmou.


 


O advogado de Cícero Ferro vai pedir para incluir no processo do caso Fernando Aldo os documentos contendo as transcrições das escutas telefônicas e o CD, onde Dílson supostamente inocenta o deputado.


 


Justiça


 


A Justiça alagoana também foi alvo das denúncias de Ferro. Ele apresentou documentos que comprovariam quanto cada magistrado deverá devolver aos cofres públicos, segundo apurou junto ao CNJ.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!