4 de julho de 2022

Maciel, de pegador de frete na feira a empresário e escritor

Nunca se viu em Paulo Afonso um evento cultural, de lançamento de um livro, reunir tanta e tão diversificada platéia. Foi o que aconteceu na sexta-feira, 13 de março, que nada teve de macabro e assustador. Ao contrário, as mais de 600 pessoas que compareceram ao Clube Paulo Afonso nesta Noite Cultural puderam assistir à efervescência da cultura local homenageando Maciel Teixeira Lima no lançamento do seu livro O Matuto Empreendedor. O evento foi tão surpreendente como a própria trajetória do seu autor que de menino que pegava frete e vendia alface e picolé pelas ruas da cidade sempre sonhou em ter seu próprio negócio.


 


A emoção foi a tônica em todos os momentos. No abraço com a mãe, na poesia brejeira declamada pelo pai, na performance musical sempre aplaudida de Andréia e Sérgio, no vídeo que seus familiares produziram para homenagear o empresário/escritor Maciel, que hoje administra uma das mais modernas empresas do comércio local, a Milenium, “sua loja de roupas da estação e suas vitrines belíssimas que enfeitam a noite da Avenida Getúlio Vargas quando o comércio já está com as portas cerradas”. Certamente muitos dos que ali estavam e não cansavam de aplaudir o empresário, agora também escritor, vestiam roupas adquiridas na Milenium.


 


Mas ali, homenageava-se o escritor que é aquele ser que “tira das entranhas as mais profundas emoções e as desenha no papel, dando-lhe cor e brilho qual uma bela pintura para ser apreciada. Escritor é ser o mestre-cuca que faz das palavras uma receita mágica com um sabor especial e oferece ao leitor para degustar. É ser o arquiteto que planeja e projeta as mais sólidas edificações, o artesão que molda e modela as mais lindas peças que enchem os olhos de quem as vêem. É o costureiro que junta retalho por retalho e os transforma numa bonita colcha. É ser o médico que cura e salva vidas. Ser escritor é ser humilde de coração, dividindo com os outros os seus sentimentos mais puros”.


 


Foi assim, que a mestra de cerimônias, Márcia, bibliotecária da Faculdade Sete de Setembro começou a homenagem ao escritor Maciel Teixeira Lima. Dela é o texto Ser Escritor, citado nesta matéria. Convidado para escrever o Prefácio e apresentar o livro, ali estive dizendo da minha alegria de poder fazer isso, mostrando a todos o potencial que estava adormecido e agora desponta para outros horizontes. Sávio Mascarenhas, diretor sócio-cultural do Clube Paulo Afonso, que sempre participou ativamente de eventos culturais como o Modernismo, criado pelo Professor Luiz José, também presente, não escondia o seu entusiasmo de ver o CPA, numa sexta-feira reunir tanta gente num lançamento de um livro.


 


Mas o que se viu ali foi muito mais. Foi a delícia da voz de Marília Santos cantando, foi a FASETE homenageando o autor através do Professor Jaques Fernandes e do Diretor daquela Universidade, Gilberto Sérgio, que entregaram uma placa a Maciel, que ali fez seu curso de Administração e Pós-Graduação.


 


O que se viu foram os bons atores da APDT, sob a direção de Jacson Alexandre Costa, contarem a sofrida e vitoriosa história de Maciel em cenas memoráveis de um enredo chamado “O Matuto Empreendedor”, criado especialmente para este momento histórico. Outro momento marcante foi a quando subiu ao palco a Cia. de Dança Contepoafro, dirigida por Panda, apresentando uma coreografia afro, tendo à frente o professor Júnior que multiplicou os muitos aplausos ao voltar com o Grupo de Dança Filhos da Terra e a coreografia Mameluco, da cultura pernambucana.


   


Não faltaram nesta noite homenagens para Maciel, como a do ex-Presidente da CDL, o empresário Francisco Rodrigues. Linda também a participação do Coral Canto da Terra, da UNEB, organizado e regido pela professora Gicelma Oliveira, com a participação do cantor e compositor Ropiário Júnior.


 


A agência de modelos WG Models esteve lá, com todo o seu cast desfilando em tapete vermelho, enquanto a bela voz de Patrícia encantava a todos ao interpretar “Tente outra vez”, de Raul Seixas. Música da melhor qualidade também trouxe Oscar Silva, ao apresentar a canção O Matuto Empreendedor, de sua autoria em homenagem ao escritor Maciel.


 


Depois vieram os autógrafos, com 10% da renda para os projetos sociais do Colégio Sete de Setembro e o autor recebeu os abraços merecidos de muitos que, numa fila imensa não se queixavam e faziam questão de posar para uma foto das lentes do MaisFesta, de Vicente e de Fernando Feitosa, Toitinho, que ilustram esta matéria. Foi, de fato, um momento ímpar para a sociedade pauloafonsina e ele apenas reflete a luz que Maciel coloca em cada tema do seu livro que conta a sua vida e, certamente, será espelho para muitos que desejarem crescer, deixar de ser apenas a galinha da fábula e alçar vôos memoráveis como a águia.


 


Porque, “ser escritor é ser o professor que pacientemente ensina seu aluno na perspectiva de fazê-lo crescer como pessoa, informando, divertindo, instruindo-se para ser cidadão consciente. É ser padre ou pastor que encaminha suas ovelhas para o bom caminho. É ser pipoqueiro da praça que enche a garotada de alegria”.


 


Para Maciel Teixeira Lima, matuto, vendedor de picolé e alface, menino pegador de frete, que passou fome e frio em São Paulo, foi seqüestrado em Paulo Afonso, teve sua loja, seu primeiro sonho, roubada e correu mundo, levou sua loja Milenium a ganhor concursos de vitrine em São Paulo, produzir um livro e reunir tantas pessoas à sua volta, numa noite inesquecível como aquela sexta-feira, 13, no CPA foi apenas mais um passo em sua vitoriosa caminhada, alicerçada no amor da família e no sonho, nunca impossível de se chegar mais alto até alcançar o topo da montanha.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!

WhatsApp

Conteúdo 100% exclusivo e em primeira mão, que você só vê no PA4!