Polícia identifica os assassinos do massacre de Suzano; 10 mortos

Por G1-SP | 13 de Março de 2019 às 15:37

Luiz Henrique de Castro (esquerda) e Guilherme Taucci Monteiro (direita), assassinos de Suzano — Foto: Arquivo pessoal



 

 

Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, invadiram escola na Grande São Paulo e mataram cinco alunos e duas funcionárias.

 

A polícia divulgou os nomes dos assassinos que mataram, nesta quarta-feira (13), cinco alunos e duas funcionárias na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo.

 

São eles: Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos. Os dois cometeram suicídio em seguida. Castro completaria 26 anos no próximo sábado.

 

O ataque ocorreu por volta das 9h30 desta quarta-feira (13). Quatro dos mortos no local são alunos do ensino médio. Outros dois adolescentes foram socorridos, mas morreram no hospital. Duas das vítimas são funcionárias da escola.

 

Resumo

 

Ataque a escola em Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo, deixou oito pessoas mortas; os dois assassinos se mataram

Os autores do crime são Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Henrique de Castro, de 25 anos

 

23 pessoas foram levadas a hospitais. Entre elas, há feridos e outras que passaram mal após o ataque

 

Ainda não se sabe o motivo do ataque e o vínculo dos autores com a escola
Uma testemunha disse que viu um deles com arma de fogo e outro, com uma faca

 

A PM encontrou no local um revólver 38, uma besta (um artefato com arco e flecha), objetos que parecem ser coquetéis molotov e uma mala com fios
Antes de os autores do ataque entrarem na escola, um dos assassinos, Guilherme, baleou o próprio tio dentro de uma loja

 

Os assassinos chegaram à escola alvo do ataque em um carro alugado

 

Ataques

 

Os autores do crime chegaram à escola em um carro branco, que foi alugado por um dos assassinos. Eles entraram pela porta da escola, que estava aberta.

 

“Eles ingressaram na escola, atiraram na coordenadora pedagógica, atiraram numa outra funcionária. Estava na hora do lanche, eles se dirigiram ao pátio, atiraram em mais quatro alunos do ensino médio. Nesse horário, só havia alunos do ensino médio, e [os autores do ataque] dirigiram-se ao centro de línguas. Os alunos do centro de línguas se fecharam na sala com a professora e eles [criminosos] se suicidaram no corredor”, disse o coronel Marcelo Salles, comandante-geral da PM.

 

O coronel Salles afirmou que, antes de entrar na escola, os criminosos balearam um homem em um lava-rápido próximo à escola. Mais tarde, a polícia confirmou que o homem, Jorge Antonio de Moraes, foi baleado pelo sobrinho, Guilherme Taucci, em seu escritório, dentro da loja de automóveis Jorginho Veículos.

 

Jorge foi levado ferido ao Hospital das Clínicas, onde era submetido a uma cirurgia.

 

A motivação do crime ainda é incerta. Segundo testemunhas, o tio teve uma discussão com o sobrinho um dia antes.

 

Arsenal

 

Dentro da escola, a polícia encontrou um revólver 38, quatro jet luders, que são plástico para recarregamento de arma, uma besta (um tipo de arco e flecha que dispara na horizontal), um arco e flecha tradicional e garrafas que aparentam ser coquetéis molotov. Guilherme, um dos autores do ataque, tinha uma espécie de machado na cintura.

 

Há ainda uma mala com fios. O esquadrão antibombas foi chamado, mas a polícia ainda não informou se havia material explosivo no local.

 

Arte – ataque a escola em Suzano (SP) — Foto: Juliane Monteiro e Rodrigo Cunha/G1

 







7 pensamentos em “Polícia identifica os assassinos do massacre de Suzano; 10 mortos”

    1. É doloroso mesmo, mas essa violência nas escolas já existia desde o governo anterior. A falta de respeito e violência contra professores e alunos já existia antes de Bolsonaro ganhar pra Presidente.
      Reconheça que estamos no fim dos dias e a tendência é piorar sim. Mas não por culpa de um só homem. Mas pq a maldade está aumentando a cada dia. Jovens e adultos sem Deus. O resultado é esse…matam por qualquer motivo. E usam qualquer coisa pra matar…Não é só arma de fogo não. Pra matar até uma pedra usam. Devemos orar ao invés de criticar.

  1. NINGUÉM COMENTA QUE ESTES GAROTOS PASSARAM POR BULLY NO COLÉGIO SOFRERAM TANTO LEVARAM CONHECIMENTO A DIRETORIA OS MESMOS NÃO O ATENDERAM ZOMBANDO DANDO CREDITO AOS COLEGUINHAS BRIGUENTOS ATÉ TAPA E EMPURRÕES LEVAVAM,ASSISTAM ROBERTO CABRINI FOI O ÚNICO QUE ENTREVISTOU ALGUNS COLEGAS QUE PASSAM POR O MESMO CONSTRAGIMENTO QUE OS AUTORES SOFRERAM.A TV PRINCIPALMENTE A GLOBO NÃO DIVULGAM O REAL ACONTECIMENTO.

    1. Concordo com sua opinião acordem diretores e professores mobilizem as escolas façam palestras,e não venham culpar os pais por não ter dado educação.

  2. É o que mais acontecem nas escolas pessoas que tem problema de socialização e servem de chacota pra a turma isso professor nenhum defende esperam acontecer a desgraça primeiro acordem façam palestras nas escolas juntos com psicólogos, psiquiatras e psicanalista que nem todos país tem recursos pra acompanhar filhos que passam por Isso é muito fácil julgar se ponham no lugar de alunos que sofrem bulli pronto falei mãe de aluno que passa por isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Telefone: 75 3281.9421
  • E-Mail: comercial@pa4.com.br
© 2015-2016. Todos os direitos reservados.