“Pessoas morrerão se o senhor Adriano da Costa insistir em reduzir os serviços do HNAS”, diz Luiz de Deus em reunião no MPF

CHESF apresentará resposta à recomendação do MPF até a próxima sexta-feira, dia 8.

Por REDAÇÃO - PA4.COM.BR COM ASCOM/PMPA | 7 de Fevereiro de 2019 às 9:49

Participantes da audiência de mediação no Ministério Público (MP-BA) realizada nesta quarta-feira (06), em Salvador (BA). Foto: Ascom/PMPA



 

 

“Enquanto médico, afirmo que pessoas morrerão se o senhor Adriano Soares da Costa insistir em reduzir os serviços do Hospital Nair Alves de Souza. E se isso acontecer, eu mesmo me encarregarei de processá-lo”. Com essas palavras, o prefeito Luiz de Deus foi enfático ao se posicionar durante reunião que aconteceu na tarde desta quarta-feira (6), na sede do Ministério Público Federal, em Salvador, sobre a medida adotada pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) em suspender os serviços do Hospital Nair Alves de Souza em Paulo Afonso.

 

O encontro, realizado a pedido do Procurador Fernando Tulio da Silva, é mais um desdobramento para debater a transferência da gestão da unidade de saúde para a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). O prefeito compareceu acompanhado do secretário municipal de Saúde, Ivaldo Sales Júnior e do procurador Igor Montalvão.

 

A reunião teve como objetivo renovar o compromisso existente entre a Chesf, Univasf, EBSERH, Governo do Estado da Bahia e a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso e, assim, destravar os impasses existentes, para que a transferência da gestão do HNAS seja feita o mais rápido possível e de maneira que não prejudique a população que utiliza os seus serviços. O Diretor Econômico-Financeiro, Adriano Soares da Costa, iniciou as explanações e falou sobre a situação econômica da Chesf e os motivos para redução dos serviços do HNAS e seu fechamento.

 

“O diretor da Chesf deixou claro que a companhia tem interesse em rever esse ofício. Segundo ele, essa discussão está a nível Federal, onde foi montada uma comissão interministerial para rever essa questão e esperamos que essa situação venha a ser resolvida”, afirma o procurado do município, Igor Montalvão.

 

Foto: Ascom/PMPA

O Procurador Fernando Tulio da Silva enfatizou que, a partir do momento que a Chesf iniciou a prestação de serviços na área de saúde, ela tem a obrigatoriedade de continuar a prestá-los até que a situação da transferência do HNAS seja resolvida. “É do interesse de todos nós, enquanto cidadãos, que a situação do HNAS seja resolvida e que os serviços continuem sendo prestados de maneira que haja uma melhoria na manutenção dos serviços”, destacou o Procurador. Ele reforçou a importância do diálogo para que as partes envolvidas chegassem a um acordo que beneficiasse a todos, principalmente a população que depende dos serviços do hospital.

 

Após um extenso debate entre as partes envolvidas, ficou acordado que até o dia 22 do corrente mês, a Chesf, Governo do Estado e EBSERH, definirão os prazos para que os termos aditivos sejam expostos, além dos prazos definidos para o início da transferência da direção e manutenção do HNAS.

 

“Sentimos um avanço após essa reunião. Tanto na solução do ofício, bem como no andamento do projeto de reforma e ampliação do hospital, com os 30 leitos de UTI”, ressalta o secretário de Saúde, Ivaldo Sales Júnior.

 

Em relação ao documento enviado pela Chesf à Prefeitura, tratando da interrupção da prestação dos serviços do HNAS e ao seu provável fechamento, a companhia terá até esta sexta-feira (8), para comunicar a sua decisão – a suspensão do comunicado ou se vai recorrer a instâncias maiores, haja vista que a empresa já foi notificada pelo Ministério Público Federal da Bahia, a dar continuidade aos serviços de saúde prestados à população por meio do hospital.

 

A reunião contou com a presença do Procurador, Fernando Tulio da Silva; o prefeito de Paulo Afonso, Luiz Barbosa de Deus; o prefeito do município de Glória, Davi Cavalcanti; o procurador do município de Paulo Afonso, Igor Montalvão; o secretário de Saúde, Ivaldo Sales Júnior; o vereador Marconi Daniel; o Diretor Econômico-Financeiro da Chesf, Adriano Soares da Costa e seus advogados, além de representantes da Univasf, Conder e Governo do Estado da Bahia.

 

Para ver a ata da reunião clique AQUI

 

Comitiva de Paulo Afonso e Glória em frente à sede do MPF-BA em Salvador. Foto: Ascom/MPF

 







23 pensamentos em ““Pessoas morrerão se o senhor Adriano da Costa insistir em reduzir os serviços do HNAS”, diz Luiz de Deus em reunião no MPF”

  1. Agora que esses … aproveitadores das oportunidades que o povo irresponsável, lhes concedeu,…, querem resolver os problemas do município; coisa que…

    1. Dr. Luis de Deus, uma perguntinha básica: De quanto é contrato daquele funcionário que vai pegar a enfermeira no posto de saúde da feira todos os dias para ela almoçar. É só isso que ele faz durante os trinta dias do mês? E aquele outro que trabalha com ….. de quanto é o valor do salário e aí constantemente fica trancado na sala com a enfermeira essa de feira de santana e quando desocupa a sala sai com uma enorme papelada de solicitação e encaminhamento de exames é por isso que não sobra nada pra população isso é correto seu prefeito se não é tem o seu apoio do cantrário não estaria acontecendo nada disso.

    2. Todo mundo sorrindo querendo sair bonito na foto, mas esse pessoal sabem que o o povo luta por mais de trinta anos por uma UTI em Paulo Afonso sendo que o atual e o anterior prefeito que são médicos sempre foram contra a instalação dessa unidade no município isso que mata a população.

  2. O HNAS entao.pode levar tudo nas costas sozinho? Porque o sexto municipio da Bahia que arrecada mais de 1 bilhao e 200 milhoes em apenas 4 anos nao pode melhorar o servico do próprio hospital? Muito intetessante isso..Parabéns ao.senhor prefeito e todos os vereadores que sabem.criticar a Chesf que deu tudo de graca ao estado e.municipio pra eles usarem, como Colepa, e outras tantas escolas, e outros orgaos….alem de.milhoes mensais de impostos ao municipio….Eita dívida que nunca tem.fim, hein……kkkkkk…assim é bom demais!!

    1. Nada contra, mais perguntar ao gestor da cidade pode ser?

      Prefeito, se a cidade de Paulo Afonso está classificada no governo federal como: ” SAÚDE PLENA” quer dizer o que realmente.
      Que a cidade é auto suficiente em saúde.
      Porque o hospital municipal não está funcionando o setor de partos?

      Ora, Sr gestor me deixe viu. Vá contar abobrinha em outro lugar, quer passar manteiga na venta do gato e não que que ele passe a língua?

      1. Até onde tenho conhecimento , a Saúde Plena é porque o Município Passa a gerir os Recursos do SUS diretamente, tanto os bipartites, como os tripartites, mas o PActo de Gestão é apenas na BAIXA E MEDIA-BAIXA COMPLEXIDADE, com os municípios de Paulo Afonso, Glória e Rodelas.
        Já quanto a Maternidade do hmpa e até a Unidade de Parto Humazido, lembro dos debates e foram fechados por falta de procura das mulheres que iam direto ao HNAS, ainda na época de Luiz Aureliano;
        Mas é um questionamento que merece uma resposta do Secretário

        1. Muito obrigado pela força do esclarecimento.
          Cadê remédios na farmácia básica, quando chega dizem que são distribuídos aleatoriamente sem critérios, até mesmo para outros munícipes de outras cidades, é para quem ver e ler investigar a veracidade.

  3. A prefeitura descumpriu o contrato ao deixar de repassar 18 milhões de verba carimbada do SUS ao HNAS. Também, junto com o governo estadual nunca instalaram leitos de Urina cidade. Muitas pessoas morreram nessa cidade por esse motivo. Agora por pura politicagem jogam todas as mazelas da saúde em cima da CHESF, como se ela fosse a única responsável. O prefeito começou seu discurso afirmando que sempre foi médico, Agora eu pergunto Paulo Afonso: “imagine se não fosse? Em outras oportunidade ele afirmou que PA tem uma das melhores saúde do Brasil. Pergunto de novo: ” porque quando ele adoeceu, pegou uma UTI móvel, caríssima, é foi para Salvador. Porque não se tratou na cidade a qual ele e6o gestor da saúde? Me poupe viu!

    1. Ele é formado em administração de empresa ao que parece, se fosse administração hospitalar ficaria até mesmo calado.
      Ora, sabemos que o pai já foi por várias vezes vereador então foi a vez do filho e não obteve sucesso.
      Para falar a boca do pai Ivaldo, o prefeito previlegio o filho com o cargo de secretário de saúde, quanta incongruência.

    1. Que tal fazer um teste neste rapaz para ver se é capaz de ser secretário de saúde já que o irmão e a esposa está no SAMU como funcionários o que não pode.

  4. Interessante que na última eleição presidencial, não vi esse empenho dos políticos da cidade em evitar a eleição de Bolsonaro, que todos sabem segue a linha LIBERAL, cujo objetivo é Reduzir o Estado, limitando entre outros custos, despesas como essa de manter um Hospital.
    Agora é Tarde.

  5. A CHESF não tem nenhuma obrigação em fornecer assistência a saúde , a população de Paulo Afonso , quem tem obrigação é o prefeito e o governador , a obrigação da CHESF é gerar energia e transmitir para o Nordeste , e o prefeito que já foi chesfiano , sabe muito bem disso , isso é jogo político , veja a presença deste vereador , que não faz nada para beneficiar a cidade , , esse moço está querendo fazer palanque para próxima eleição , espero que o diretor da CHESF seja firme na sua decisão , entregue a responsabilidade ao prefeito , que tem obrigação de cuidar da saúde dos Paulo Afonsinos , já que rebe os impostos que nos pagamos

  6. Isso se chama transferência de responsabilidade. A Chesf é uma empresa que já paga royalties, quem recebe esse dinheiro é que deveria bancar a saúde. O município está mal acostumado, é preciso acordar pois os tempos são outros.

  7. A CHESF foi mãe, gerou, nutriu e agora é hora de Paulo Afonso andar com as próprias pernas, onde estão os royalties, não seria a hora dessa filha ingrata ( cidade) começar a reagir?? Acorda povo! Saúde não é atividade fim, já deu, o município precisa sair das sombras, cuidar da saúde, educação, gerar emprego e renda. Nossa cidade não tem perspectiva de futuro, o que temos? Um comércio enfraquecido, cabides de emprego na prefeitura, onde estão os incentivos fiscais para investimentos de empresas? Pais de família desempregados, o que se vê é moto táxi … Libertem se dos cabrestos políticos…

  8. Mesmo sendo de Paulo Afonso tenho que dizer que minha maior bêncao foi saí daí…É a pior cidade que pode existir quanto a administracao de recursos publicos. Só tem sanguessuga na política….Cada um que entra é pior que o outro…..a cidade nao tem absolutamente NADA alem das proprias belezas naturais que encontramos em tantasoutras do pais…meu Deus nao entendo como a populacao é tao cega que continua a insistir com.os.mesmos politicos……LAMENTAVEL…..Ja passei.por diversas outras cidades pra trabalhar e posso afirmar com certeza que pior administracao e a daí..principalmente pelos tantos MILHOES que entram todo mês no.municipio……..Ainda bem que saí……..outros que nem ao.menos tem a mesma sorte!

  9. É necessário que haja um acordo entre CHESF e PMPA, Quanto aos débitos da Prefeitura com a Chesf são verdadeiros. Desde a gestão de Anilton que deixou de repassar a verba do SUS(média e alta complexidade) para o HNAS, continuando com o atual Gestor. Estando na casa dos 18 milhões de reais. O ex-prefeito Raimundo Caires quando conseguiu a gestão fundo a fundo (antiga Gestão Plena) , repassava quase 400 mil reais/mês para o HNAS, pagando dessa forma os procedimentos de média e alta complexidade, tendo em vista que o atendimento do HNAS esta na casa dos 90% para o município de Paulo Afonso e cidades da região pactuadas com o nosso MUNICÍPIO. O restante menos de 10% são de cidades não pactuadas especialmente nos casos de acidentes com fraturas, infartos, derrames,etc só emergências, Como Paulo Afonso desloca pacientes para outros municípios como Salvador, Recife, Juazeiro, etc, sem nenhum custo para o nosso município. E porque cobrar da CHESF sobre esses atendimentos emergenciais realizados no HNAS. E a lei da compensação.
    A Prefeitura, afirma que a Chesf deve ao município sendo necessário que fosse explicado a origem desse débito da CHESF, já que não cobrado a dívida, caduca com 5 anos. Gostaria muito de ver esse ponto esclarecido pelo Gestor.

  10. INFELISMENE JÁ MORREU O PRIMEIRO PAULAFOSINO NESTA QUARTA FEIRA NO HNAS, NA MESA DE CIRURGIA, APÓS FALTAR ENERGIA EM TODO O BAIRRO DA CHESF, E ATÉ GERADOR DE ENERGIA DO HNAS NÃO FUNCIONOU……

  11. No ano 1991, fizemos o 1º seminário em Paulo Afonso com o tema: Pespectivas de desenvolvimentos de Paulo Afonso e Região para o ano 2000, com a finalidade de cortarmos o cordão umbilical, desligando Paula Afonso da mâe CHESF. Isto não saiu do Papel e nem tão pouco foi divulgado, o livro escrito deve estar no SEBRAE e PREFEITURA só juntando poeira. No meu ver cópias teriam que ser espalhadas para que a população tomasse conhecimento e pusesse em prática o seu conteúdo. Nem mesmo eu que fui um dos participantes tenho uma cópia deste Livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Telefone: 75 3281.9421
  • E-Mail: comercial@pa4.com.br
© 2015-2016. Todos os direitos reservados.