Justiça interdita sede da Aspra – Associação dos Policiais e Bombeiros Militares de Paulo Afonso

Por REDAÇÃO - PA4.COM.BR | 16 de outubro de 2019 às 8:42

Foto: Leitor (PA4.COM.BR)



 

As sedes da Associação dos Policiais e Bombeiros Militares e seus Familiares (Aspra) em Salvador e no interior do estado, inclusive em Paulo Afonso foram interditadas por determinação da Justiça baiana e estão sendo alvo de uma operação deflagrada na manhã desta quarta-feira (16), pelo Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), que atua na ação.

 

De acordo com a SSP-BA, Polícias Civil e Militares cumprem mandado de busca e apreensão. Durante a noite, um grupo liderado pelo deputado estadual Prisco (PSC), que é comandante da Aspra, teria sido alvo de um atentado. No Whatsapp, tem circulado vídeos e fotos em que mostram o suposto ataque. Uma fonte do governo informou que a Polícia Civil apura o caso. Segundo a mesma fonte, ninguém foi ficou ferido com arma de fogo, mas com estilhaço de vidro. Os autores do suposto atentado ainda não são desconhecidos.

 

Segundo a SSP-BA, a decisão da Justiça de interdita a Aspra atendeu a pedido formulado pelo MP-BA, que sustentou que a entidade tem realizado assembleias incitando movimento paredista da classe dos policiais, afrontando o artigo 142 da Constituição Federal, e causando grave risco à segurança pública e à coletividade.

 

A operação acontece na capital, Paulo Afonso, Barreiras, Feira de Santana, Guanambi, Ilhéus, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Jacobina, Jequié, Juazeiro, Porto Seguro, Santa Maria da Vitória, Santo Antônio de Jesus, Senhor do Bonfim, Serrinha, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista. Além da interdição e da busca e apreensão de documentos, computadores e dinheiro, também foi determinado o bloqueio das contas da entidade. Vinte promotores de Justiça participam da ação.

 

Foto: Leitor (PA4.COM.BR)

O presidente da Aspra em Paulo Afonso, Cabo PM Moreirão, que também é vereador esteve no local acompanhando a ação da Justiça.

 

 

 

 

 

 

 

 

 




 

Corregedoria abre inquérito contra movimento a pedido do MP

 

Seguindo um pedido do Ministério Público Estadual (MPE), a Corregedoria da Polícia Militar instaurou, na manhã desta terça-feira (15), um inquérito policial militar para investigar a conduta ilícita de militares ligados ao deputado estadual Prisco. Fechamento de avenidas, ataques contra ônibus e bancos, faltas em serviço, entre outras irregularidades serão apuradas.

 

Entre os casos citados pelo MPE, está o ataque contra dois ônibus, na região do Subúrbio Ferroviário, ocorrido na última quinta-feira (10). Na ocasião, Anselmo Souza dos Prazeres, filiado da Aspra e soldado da 18a CIPM (Periperi), foi flagrado após atravessar dois coletivos na Avenida Suburbana. Ferido após confronto, ele segue internado.

 

“Vamos cumprir o pedido do MP e relatar a participação de cada militar neste movimento irregular. Além das ações de vandalismo, seremos rigorosos com o pequeno grupo que está faltando sem justificativa plausível”, afirmou o corregedor da PM, coronel Augusto César Miranda Magnavita.

 

Foto: Leitor (PA4.COM.BR)
Foto: Leitor (PA4.COM.BR)






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Telefone: 75 3281.9421
  • E-Mail: comercial@pa4.com.br
© 2015-2016. Todos os direitos reservados.