Após vídeo do vereador Mário Galinho, prefeitura explica falta de transporte escolar em comunidade do BTN

Por REDAÇÃO - PA4.COM.BR COM ASCOM/PMPA | 7 de Fevereiro de 2019 às 22:27

A Prefeitura de Paulo Afonso esclarece os fatos da matéria veiculada pela mídia, que informa suposta falta do transporte público para crianças da rede municipal.

 

A gestão ressalta que as medidas corretivas referentes à utilização do transporte escolar na rede municipal de ensino estão baseadas nas Leis Federais: 10.709/03, 9.503/97 (Código de Trânsito Nacional), 9.349/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), 8.666/93 e 11.494/07 (FUNDEB) e Normativa Municipal 001/2018 regulamentada pelo Decreto 5506/2018.

 

A Lei do Transporte Escolar é bem clara quando diz que não terá direito, o aluno que optar por não estudar na unidade escolar mais próxima de sua residência, havendo vaga. Oferta-se direito a condução para quem reside na área rural ou urbana, caso não seja ofertada a vaga em unidade escolar próxima. Diante dessa questão, os pais ou responsáveis que optarem matricular seus filhos em escolas que não estejam próximos às suas residências, havendo vagas nessas escolas, não terão esse direito ao transporte.

 

Conforme determinação do Ministério da Educação (MEC), o município passa por um processo de reordenamento e levantamento da quantidade de vagas nas escolas da rede municipal. Caso sejam encontradas vagas nas escolas próximas, os pais serão convidados a transferir seus filhos para as unidades do bairro em que residem.

 







13 pensamentos em “Após vídeo do vereador Mário Galinho, prefeitura explica falta de transporte escolar em comunidade do BTN”

  1. INTERESSANTE viu.
    A princípio todas as escolas eram para seguir o mesmo ritmo. Qualidade de ensino acima de tudo.
    O que se vê é escola diferente uma das outras o que não pode o ocorrer.

    PREFEITO se alerte as informações são errôneas.

  2. Isso é ridículo a gente ter que colocar os filhos em escolas que não queremos por querer o melhor para o mesmo pq essa prefeitura não quer bancar…

  3. Falando assim parece até que existem vagas nas escolas próximas. A prefeitura pensa que todos são idiotas. Não importa, o município tem que prover; Saúde, transporte, educação e segurança. É direito básico do cidadão.

  4. Mas a prefeitura e a lei esquecem a dificuldade que os pais de família tem para poder levar seus filhos à escola, mesmo a escola ficando no mesmo bairro da moradia. Como um trabalhador pode pegar de 7:00 horas no seu emprego e ao mesmo tempo levar a criança na escola se a distância da mesma é enorme e fica ainda pior quando o trabalho é em outro bairro. IssO é um absurdo. Não se pode nem escolher a melhor escola pro seu filho. Me pergunto Onde está a prefeitura que prega tanto pela educação de qualidade. É um governo que não visualiza situações diversas, mas tenta englobar tantas realidades numa só situação. Agora fiquemos assim, estudando Onde a prefeitura escolhe, e quem quiser educação diferenciada que se vire.

  5. É assim mesmo. Os pobres de hoje querem atendimento de hospital particular no Sus e escola paga na rede pública. Conheço medi os, engenheiros, juízes que andavam quilometros pra estudar na escolinha do municipio. Hoje as crianças (e os pais) são cheios de mimimi. Agora vejam se falta um celular novinho pra esses rebeldes!

  6. Prefeitura sempre querendo ser dona da razão. Coloco meu filho onde quero e a obrigação é dar transporte e educação de qualidade é para isso que pago os meus impostos.

  7. As eleições estão chegando, e o povo do condomínio, vai dar o troco ‘-‘. A nossa lei é vai ser da o troco vamos escolher outro prefeito, já que votamos nesse, e oque recebemos de volta, foi tirado da gente oque é de direito. ‘-‘

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Telefone: 75 3281.9421
  • E-Mail: comercial@pa4.com.br
© 2015-2016. Todos os direitos reservados.