Após 15 anos, Sefaz-BA tem 60 vagas para Auditor; salários podem passar de R$ 10 mil

Valeu a pena esperar: Após 15 anos, Sefaz-BA tem 60 vagas para auditor
Inscrições terminam no dia 5 de abril; salários podem passar de R$ 10 mil, a depender das gratificações

Certame conta com 60 vagas para o cargo de auditor fiscal do estado (Foto: Evandro Veiga/ Arquivo CORREIO)



 

 

Após 15 anos sem a realização de concurso público, a Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (SEFAZ-BA) abre 60 postos para o cargo de Auditor Fiscal, nas áreas de Administração, Finanças e Controle Interno, Tecnologia da Informação e Administração Tributária. Para concorrer a uma vaga, o candidato ou candidata precisa ter nível superior completo nas áreas de Administração, Ciências Econômicas, Ciências Contábeis, Direito, Engenharia, Informática, Sistemas de Informação, Ciência da Computação ou Processamento de Dados.

 

Concorrida, a carreira de auditor fiscal tem uma remuneração inicial e básica de R$ 1.970,72. A esse valor é acrescida a Gratificação de Atividade Fiscal, com valores que variam de R$ 1.970,72 a R$ 9.459,45. O salário pode ficar ainda maior com o Prêmio por Desempenho Fazendário, cujo valor máximo é de R$ 4.389,18. Os efetivados terão carga horária de trabalho de 40 horas semanais.

 

De acordo com o superintendente de Desenvolvimento da Gestão Fazendária, Félix Mascarenhas, a seleção busca encontrar um perfil de auditor versátil, capaz de transitar em diversas áreas, a exemplo da Tecnologia da Informação, Administração Tributária, Controle Interno e Finanças. “Hoje, toda a documentação fiscal é eletrônica, por isso mesmo, o perfil do auditor é outro, não mais aquele profissional que só lidava com papéis”, esclarece Mascarenhas, reforçando que a Fazenda é uma só.

 

O superintendente acredita que, em virtude do período sem a realização de processo de seleção, a expectativa é que a concorrência seja alta. “No último concurso, tivemos 3 mil inscritos e acreditamos que, em 2019, essas inscrições dobrem”, completa o superintendente.

 

Provas

 

O processo seletivo será composto de prova objetiva, contendo questões de conhecimentos gerais e específicos, prova discursiva e títulos. As avaliações – que estão sob a responsabilidade da Fundação Carlos Chagas – estão previstas para serem aplicadas no dia 26 de maio, em Salvador, nos turnos matutino e vespertino. Vale salientar que o concurso destina 5% das vagas para pessoas com deficiência e 30% para afrodescendentes autodeclarados.

 

De acordo com o professor e advogado especializado em direito tributário, Ângelo Boreggio, o candidato que desejar se destacar deve se dedicar a conhecer todo o edital. “Esse conhecimento será fundamental para que o estudante possa elaborar sua estratégia de estudo, buscando verificar quanto tempo dedicará a cada uma das matérias exigidas”, sugere.

 

Outra dica do professor é buscar praticar respondendo as questões já elaboradas pela banca examinadora (Fundação CarlosChagas). “Esse treino é fundamental porque possibilita que o candidato já vá se familiarizando com a linha de raciocínio e a forma de questionar da banca”, diz.

 

O também professor e advogado André Malheiros ressalta que a Fundação Carlos Chagas costuma cobrar temas recentes, julgados pelo Supremo Tribunal de Justiça. “Geralmente, há uma tendência de cobrar a letra da lei e questões onde a aplicação não abre margem para interpretações diversas”, esclarece Malheiros.

 

“O tempo está curto, mas talvez valha a pena buscar a ajuda de facilitadores e um cursinho onde seja possível fazer um intensivo nessa preparação específica, particularmente com a prática de exercícios”, sugere. Além das questões específica, Boreggio salienta a necessidade e o cuidado com a língua portuguesa, que tem reprovado muito.

 

“O fato de ter estudado a língua na escola e faculdade não é suficiente para se considerar pronto para a prova de um concurso”, destaca. O professor pede uma atenção especial para a Reforma Ortográfica. As inscrições poderão ser realizadas até às 14h do dia 05 de abril no site da FCC (www.concursosfcc.com.br) e a taxa tem valor de R$ 170,00.

 

SEMANA TEM 180 CONCURSOS ABERTOS

 

Vale salientar que não é apenas o concurso da Sefaz-BA que chama atenção neste início de ano. Estão abertos, no país, 180 concursos que, juntos, ofertam um total de 20.971 vagas. Desses processos seletivos, merece destaque o do Ministério Público de Contas do Pará por causa do salário de R$ 35.462,22.

 

O governo da Bahia tem três concursos abertos. Além do de auditor, vale a pena atentar para as 35 vagas do Consórcio Público Interfederativo de Saúde do Extremo Sul da Bahia, que paga um salário de R$ 5 mil.

 

 

De acordo com o professor e coach André Malheiros, esse é um período particularmente interessante para os concurseiros que tenham possibilidade de viajar para outros estados. “As perspectivas são boas e a abertura de processos seletivos na área fiscal incentivam muitos jovens”, diz o professor.

 

Preparo

 

Ele lembra que, independente da escolha do concurso, para que o desempenho do candidato seja satisfatório, é fundamental não se deixar pressionar pelo peso do processo ou da concorrência. “Em vez de pensar como o concurso é tenso, procure lembrar que ali está a chance de ingressar na carreira dos seus sonhos, procure lembrar tudo de positivo que os processos seletivos trazem, por mais cansativos que possam parecer”, sugere.

 

Aliado a isso, o professor salienta a importância do pensamento positivo para garantir a tranquilidade e, consequentemente, o bom resultado nas avaliações. Outra dica é equilibrar o tempo dedicado à preparação sem esquecer o do descanso e o do lazer.

 







2 pensamentos em “Após 15 anos, Sefaz-BA tem 60 vagas para Auditor; salários podem passar de R$ 10 mil”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Telefone: 75 3281.9421
  • E-Mail: comercial@pa4.com.br
© 2015-2016. Todos os direitos reservados.