Adolescente é morta por homem que conheceu na internet na Bahia

Caso foi em Vereda; segundo a PM, suspeito confessou estrangulamento

Por REDAÇÃO - PA4.COM.BR COM CORREIO DA BAHIA | 5 de Fevereiro de 2019 às 16:52

Familiares estranharam o sumiço de Vivia e suspeitaram de Daniel, que foi preso (Foto: Site SulBahiaNews/Reprodução)



 

 

A estudante Vivia Medeiros Soares, 15 anos, foi morta por estrangulamento por um rapaz com quem marcou um encontro no último domingo (3), em Vereda, Sul do estado. Segundo a polícia, Daniel Max Santos de Jesus, 19, confessou o feminicídio, que alegou ter sido motivado pela vítima se negar a fazer sexo com ele. O encontro havia sido marcado através de uma rede social.

 

Policiais militares do 2º Pelotão da 44ª CIPM foram acionados pela família da jovem, ainda no domingo, quando ela foi dada como desaparecida – tinha saído pela manhã e não voltara para casa à noite. Os parentes informaram que suspeitavam de um homem que ela tinha conhecido na internet.

 

De acordo com a PM, após ser localizado, na manhã dessa segunda (4), Daniel Max “confessou que cometeu o crime após a negativa da vítima de manter relação sexual com ele.” A perícia técnica deve definir se houve estupro, antes do assassinato.

 

O corpo da garota foi encontrado enterrado no distrito de São João da Prata, zona rural de Vereda.

 

O jovem foi apresentado a 8ª Coordenadoria da Polícia do Interior (Coorpin). “Ele contou friamente que conheceu a jovem e tentou manter relação sexual com ela, porém, com a negativa, ele a estrangulou e apontou o lugar onde enterrou. Ficamos abalados com tamanha crueldade”, comentou o comandante da 44ª CIPM, Major Leão, em nota divulgada pela assessoria da PM. Não há informações sobre dia e local do sepultamento.







5 pensamentos em “Adolescente é morta por homem que conheceu na internet na Bahia”

    1. Idiota! Burro é vc seu jumento que, não respeita a dor dos familiares, e fica aí conversando merda! Vá procurar uma lavagem de roupa que é o melhor que vc faz.

  1. Ela foi … sim. Mas independente do erro, as punições para esse tipo de crime precisam ser mais severas, muito mais rígidas.
    Esses elementos passam 2/3 anos na prisão saem, e faz tudo novamente. Eles não se intimidam com essas prisões, porque sabem que logo logo estarão fora novamente. Lamentável!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Telefone: 75 3281.9421
  • E-Mail: comercial@pa4.com.br
© 2015-2016. Todos os direitos reservados.